Gostou? então compartilhe nosso blog e divulgue nosso trabalho!

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Arranjos para Banda de Música

arranjo para Banda de Música da música de Roberto Carlos "Esse Cara sou Eu"
Arranjo de Chagas Araújo ( Jabíra do Trombone )
CLIQUE AQUI  e baixe

agora, arranjo da música de Roberto Carlos "Eu Quero Apenas" arranjo também de Chagas Araújo.
CLIQUE AQUI  e baixe

Tabela de Digitação - Flauta Doce Germânica

Tabela de Digitação - Flauta Doce Germânica

sábado, 8 de dezembro de 2012

Nosso Projeto é notícia

em sua edição de novembro/dezembro de 2012, o jornal Cpaco trouxe uma matéria sobre nosso projeto... confira!!!

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Banda de Música de São Benedito - Ce


A Tradição das Bandas de Música em São Benedito - Ce
Não se sabe ao certo quando se iniciou as bandas de músicas em São Benedito. Há registros que, já por volta dos anos de 1900 e 1905, havia uma banda de música comandada por Jerônimo Augusto Nery (Jerominho), onde este era maestro, sendo bastante rígido com seus aprendizes. No final da dec. de 1910, foi fundada uma banda de música pelo juiz de direito da Comarca Apolônio de Perga Bandeira de Barros, chamada banda do Tiro de Guerra. Na década de 20, o Sr. Domingos de Paiva fundou uma banda de música particular, conhecida por Banda de Seu Domingos, composta basicamente por seus familiares e alguns remanescentes da banda de “Jerominho”. Outro maestro dessa época era João Evangelista Silva, conhecido como “João Cego”. Posteriormente, Alfredo Laranjeira substituiu seu pai, Domingos de Paiva, no comando da referida banda.
Esta banda animava os festejos religiosos da Paróquia de São Benedito, bem como de Paróquias vizinhas, e as tradicionais festas dançantes do Tabajara Clube até o fim da década de 40.
Na década de 40, a banda passa a pertencer a paróquia de São Benedito. Era regente outro filho de Domingos de Paiva, Francisco de Paiva, permanecendo 20 anos no comando da banda, sendo substituído por João Evangelista Filho, (mestre João como ficou conhecido por todos, filho de "João Cego"). Durante as décadas de 40 e 50, ingressaram na banda de música muitas figuras, dentre elas destacam-se Francisco Enoque Filho (Chico Noca), José Américo de Brito, conhecido como “Zé Ferreira”, e os irmãos Manoel “Rita” e Benedito “Rita”, estes dois últimos ainda fazem parte da banda. Francisco Enoque Filho, aposentado, comandou a banda de música local por um curto período quando Mestre João mudou-se para Pacajús. Seu Chico Noca, mesmo em idade avançada, ainda prestigia as tocatas da banda de música, e pode ser visto pela cidade andando em uma bicicleta sem freio. José Américo de Brito atualmente é regente das Bandas de Música de Carnaubal e Croatá.
Na segunda metade da década de 1970, a Prefeitura Municipal passou a organizar a banda, que passou a demonminar-se Banda Municipal de São Benedito. Era regente novamente Mestre João, permanecendo no comando até o ano de 1989.
No ano de 1990, sobre o comando do maestro José Ferreira, inicia-se as aulas para formação de uma nova banda de música. Durante aquele ano, chegaram a participar cerca de 150 alunos estudando a parte teórica.
No começo do ano de 1991, a prefeitura adquiriu novos instrumentos e iniciou-se o trabalho com os alunos escolhidos durante as aulas teóricas. José Ferreira permaneceu na regência até o mês de maio. No mês de junho assumiu a banda o maestro Lázaro Freire Silva, para continuar o trabalho de José Ferreira. No dia 25 de novembro (dia do município) foi inaugurada a nova banda de música, mesclando a juventude dos adolescentes com a experiência de alguns veteranos. Lázaro Freire permaneceu na regência da banda até o final de 1993. Lásaro Freire, ex-maestro da Banda de Música de Ipu, faleceu em 2004.
Em 1994 assume pela terceira vez a banda, Mestre João. Naquele período, voltaram a integrar a banda vários veteranos.Mestre João conduziu a banda de música até sua morte, em 03 de março de 1997.
Em 1998, por volta do mês de maio, assume a regência Francisco das Chagas Silva, ficando na regência até o começo de 2002, onde abandonou sua função por causa de desentendimentos com alguns integrantes da banda.
Em maio de 2002, assume a regência Rildon Barbosa de Sales, permanecendo no comando até os dias atuais. Em 2005 são iniciadas aulas de flauta doce na biblioteca pública municipal, através do projeto “Amigos da Leitura”.

Em 2006, com a criação do NAEC (Núcleo de Arte, educação e Cultura), inicia-se aulas com alunos remanescentes das aulas de flauta, para a formação de uma nova banda, composta apenas por adolescentes.
Em 24 de novembro de 2006 é feita a primeira apresentação da Filarmônica Infanto-Juvenil de São Benedito, dando continuidade à rica história musical de São Benedito, iniciando um novo ciclo.
Atualmente, a cidade de São Benedito consta destas duas bandas: a Banda Municipal e a Filarmônica Infanto-Juvenil

BANDA DE MÚSICA DE IPU - CE


HISTÓRICO DA BANDA DE MÚSICA DE IPU.

A primeira Banda de Música de Ipu foi fundada em 1884. O seu fundador e criador foi o Vigário colado da Capela de Ipu, Padre Francisco Corrêa de Carvalho e Silva. Seu primeiro Regente foi Benedito Alves de Mendonça. Raimundo da Silva Loreiro também contribuiu para formação e organização da Banda. 
Tivemos muitos outros incentivadores e mantenedores da nossa Euterpe Ipuense como:
Dr. Apolônio de Perga Bandeira Barros que além de músico era Juiz de Direito da Comarca de Ipu. Dramaturgo autor de várias peças teatrais destacando-se a comédia “Casal e Meio”, toda musicada, envolvendo no decorrer dos atos, várias canções e cenas cômicas. Compositor, dentre às suas principais composições destacamos, à Marcha Fúnebre, Desilusão com arranjo especial para Banda de Música.
José Abílio Coelho, regente por algum tempo da Banda de Música de Ipu. Excelente músico e compositor, o seu instrumento preferido era o Pistom.
Raimundo Nonato do Vale, músico dos mais destacados no Estado do Ceará. Dirigiu a Banda de Música de Ipu por muito tempo. Foi fundador e participante da Orquestra Sinfônica Henrique Jorge em Fortaleza, onde permaneceu por muitos anos.
Joaquim de Oliveira Lima, outro grande Mestre da Banda. Compositor, destacando-se com muito sentimento à Marcha Fúnebre Memória Eterna. Nas suas outras atividades foi Comerciante e Historiador.
Mestre João Louro, que veio de Sobral, chegando aqui reorganizou a Banda de Música, além de Músico, era Artista Plástico e Sapateiro.
Marçal Xavier veio de Tamboril, foi por alguns anos, regente da nossa Banda de Música. Vários foram os músicos que aprenderam com ele. Tocava clarinete e era músico de primeira leitura. Nesta época a Banda de Música pertencia a Paróquia de São Sebastião do Ipu.

Lázaro Freire dirigiu à Banda desde o ano 1978, quando a mesma foi encampada pelo Município, até 14 de novembro de 2001.
Dirigiu ainda a Euterpe Ipuense o Jorge Nobre, por pouco tempo. De 1988 a 1990.
Em dezembro de 2001 volta para Ipu, o músico JORGE ANTONIO MARTINS NOBRE, saxofonista por mais de nove anos na Banda de conceito internacional“MASTRUZ COM LEITE”. Está mais uma vez frente a nossa Cultura Musical, o Jorge, como assim conhecemos, está impulsionando fortemente a nossa Euterpe, criando novos músicos. Atualmente a Banda de Música pertence ao Município de Ipu, e o atual regente é Antonio Jairo da Costa Leitão. Estamos implantando vários cursos, e já em funcionamento o Curso de Teoria Musical, aulas de violino, violão, teclado, bateria e coral.

Fonte: http://casadaculturadeipu.blogspot.com.br/2009/10/historico-da-banda-de-musica-de-ipu.html

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Banda de música de Croatá - Ce


A iniciativa de criar uma banda de música em Croatá partiu do Sr. Francisco Leunam Gomes, primeiro Secretário de Educação de Croatá. (Na época a cultura era vinculada à Secretaria de Educação). Recém emancipado no dia 3 de maio de 1988, Croatá precisava fazer brotar a cultura do seio do seu povo e fazê-la se manifestar. No ano de 1989, a convite do primeiro prefeito Sr. José Antonio Rodrigues de Aragão, chegou a Croatá o Sr. José Américo de Brito, da cidade de Carnaubal, com o intuito de ensinar música. Ele já havia fundado a banda de música daquela cidade e tinha experiência adquirida ao longo de sua carreira como músico. Zé Ferreira, como é conhecido, juntou pessoas interessadas em aprender música e iniciou as primeiras aulas de teoria musical. No ano de 1990, com a compra dos 15 instrumentos, iniciaram-se as atividades práticas. No ano de 1991, precisamente no dia 03 de maio, a banda fez a sua primeira apresentação pública, sendo esse dia um marco na história da banda. Na ocasião a banda executava algumas músicas como dobrados e valsas. Foi criada oficialmente na data de 06 de dezembro de 1993 através da Lei 084/93 e é reconhecida oficialmente como entidade de utilidade pública pelos relevantes serviços prestados ao povo croataense. Nesses mais de vinte anos a banda passou por várias formações e hoje (2011) é composta por 26 músicos. Silvério Oliveira é o único remanescente da época da fundação e hoje coordena a banda que passa por reformulação depois da saída de Zé Ferreira em março de 2011. Nessas várias formações nunca havia tido a participação feminina, o que ocorreu somente no ano de 2007 com a chegada de três adolescentes oriundas de um grupo de flauta denominado Doce Melodia, formado pelo projeto Vamos Fazer Arte criado por Silvério Oliveira. 

No repertório procura manter a linha de banda de música, enfatizando músicas próprias do seu estilo que é banda marcial, como dobrados, valsas e hinos, apesar de também executar peças populares. Já se apresentou em todas as cidades de região da Ibiapaba, nas cidades sertanejas próximas à Serra e no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura. É mantida integralmente pela Prefeitura de Croatá através de convênio firmado com a Associação Musical Croataense, instituição criada para dar suporte legal, firmar convênios e realizar projetos culturais. A Prefeitura de Croatá fornece instrumentos, fardamentos, aluguel do local para ensaios e cursos de musicalização. Vinculada à Secretaria de Cultura, Turismo e Desporto, a banda tem no seu calendário anual de apresentações, o carnaval, as festas de aniversário do município, festas religiosas da sede e dos distritos, retretas em praças públicas e eventos municipais ao longo do ano. Com essa ação de sustentabilidade ao realizar convênios com a Associação Musical Croataense, a prefeitura visa dar condições para que a banda esteja sempre em pleno funcionamento e mantenha as tradições culturais, além de contribuir na formação dos jovens participantes. Também ajuda na condição econômica das famílias pelo fato do integrante receber uma gratificação ao se tornar apto, e até mesmo antes disso, pois os iniciantes recebem bolsa-incentivo ao iniciarem as aulas práticas nos instrumentos. Ao participar da banda de música o jovem recebe orientações quanto a valores morais, sociais e patrióticos, e isso o ajuda na formação como cidadão consciente dos seus deveres, direitos e responsabilidades. Desperta ainda o interesse por uma cultura que acrescenta conhecimentos e possibilidades de profissionalização. Nas suas atividades a banda tem papel importante, com destaque para a inserção de crianças e adolescentes em aulas de musicalização, desempenhando sua função social com ensinamentos éticos e noções de dever, direito, justiça, equidade, amor à pátria, respeito às leis e às autoridades. Silvério Oliveira, Coordenador.
fonte: http://bandajotaviano.blogspot.com.br/